Cream Kraken

Nas rodas de altinha, de choro e de samba

quem veste essa linha só pode ser bamba

Chegaram direto, do fundo do mar,

tomaram as praias, prometem ficar.

​Avançam velozes pelo litoral,

do Leme ao Pontal, Grumari, Vidigal.

​Embora pareçam ferozes e afoitos,

são inofensivos, só comem biscoitos.

Se vir as migalhas caídas no chão

procure Cream Kraken ou o Polvilhão.

Cada estampa conta uma história, cada história desperta a memória. Estamos aonde essas histórias se cruzam: nas ruas- por enxergarmos a arte como ferramenta de transformação social e por apoiarmos a pluralidade de ideias; crenças; religiões; raças; gêneros; identidades e orientações. Ser ilustre não é só abraçar tendência, mas criá-la a partir de seus atos. 

Encontramos motivação no brilho dos olhos de cada um que se dispõe a refletir nossas histórias e a reinventá-las a partir de um novo olhar. Essa é a métrica do nosso sucesso e o combustível da nossa criatividade. 

Cada estampa conta uma história, cada história desperta a memória. Estamos aonde essas histórias se cruzam: nas ruas- por enxergarmos a arte como ferramenta de transformação social e por apoiarmos a pluralidade de ideias; crenças; religiões; raças; gêneros; identidades e orientações. Ser ilustre não é só abraçar tendência, mas criá-la a partir de seus atos. 

Encontramos motivação no brilho dos olhos de cada um que se dispõe a refletir nossas histórias e a reinventá-las a partir de um novo olhar. Essa é a métrica do nosso sucesso e o combustível da nossa criatividade.